Desistir de si mesmo é uma parada muito difícil e muito triste ao mesmo tempo. Tu te sente um lixo por não conseguir acreditar em si mesmo e também fica triste por saber que isso pode estar decepcionando todas as pessoas que convivem contigo.

Tudo isso vira uma bola de neve com o tempo e aí quando tu para pra contabilizar todas as desistências que já viveu, fica com mais raiva ainda por não lembrar de nenhuma conquista que tu tenha tido na vida (ainda que elas sempre existam).

Volta e meia eu me sinto assim e não me orgulho disso. Ninguém se orgulha de sonhar algo pra si mesmo e logo em seguida descobrir que todo aquele planejamento sumiu, pq tu não quer mais dar continuidade naquilo. Eu já desisti de cursar Psicologia lá em 2012, desisti de ter um canal onde eu aparecia em frente à câmera, já quis desistir de todo tipo de faculdade, já desisti desse blog aqui algumas vezes, larguei projetos na metade, dei uma desistida do meu projeto no Letras Pulsantes... e já desisti de mim um milhão de vezes também.

Quando tu desiste de ti é como se tu assumisse que tudo de ruim que as pessoas já disseram sobre você pode ser mesmo verdade. Quando tu passa a sentir vontade de ir embora sem rumo só pra não atrapalhar a vida de alguém e não ser mais um motivo pras pessoas ficarem preocupadas, tu fica triste. Tu desiste de ti (ou chega bem perto disso), mas não quer magoar quem convive contigo.

Eu admiro quem já tem todas as respostas que precisa pra vida, como a faculdade que vai fazer depois que sair da escola, a empresa e o ramo em que vai trabalhar, o tipo de carreira que quer seguir, se vai ou não falar outra língua e todas essas paradas. Eu sempre fui um grande "não sei" na minha própria vida e isso sempre me frustrou de um jeito impressionante. Tu sabia que devia ir, mas não sabia bem pra onde... mas todo mundo também tava indo e pareciam felizes com isso.

Eu já cogitei aprender alguma arte manual pra vender na praia. E isso não é brincadeira. Eu queria poder sentir orgulho de mim pelos meus feitos na vida, mas ainda não é o tipo de coisa que eu consigo sentir ou dizer publicamente sem logo depois questionar minha própria fala.

E isso me irrita.

2 Comentários

  1. Ah, menina, eu lhe entendo perfeitamente. E acredito que - talvez - deva ser o mal da nossa idade, e da nossa geração (!!!) que está cada vez mais sendo bombardeada de informações o tempo inteiro. Aí ficam tantas opções, e formam-se novos "padrões de pessoas de sucesso", que quase que imperceptivelmente acabamos entrando nessa cobrança também - de nós mesmos ou dos outros! Aí vira aquele eterno ciclo... Cabe mesmo nessas horas pensar com calma, avaliar o que realmente nos deixa felizes, independente das opiniões alheias, e investir nisso. Não pensar mais em ganhos financeiros exatamente, mas em qualidade de tempo, e portanto, de vida! Eu meio que estou em meio à essa crise também, e acabei me decidindo recentemente sobre o que iria fazer, agora, é ter paciência e saber que nossos esforços são recompensados, sempre são! Boa sorte pra você! <3

    4sphyxi4.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vamos torcer pra que tudo isso sempre acabe bem, Jaque.
      Boa sorte pra ti também! ^^

      Excluir

Que tal deixar um comentário bem maneiro aí?