Fonte
Eu acho muito louco essa história toda de não saber que caminho seguir na vida. Sempre parece que a todo momento a gente precisa saber certinho o que que tá fazendo e pra onde tudo isso está nos levando, mas, a real é que nem sempre temos a resposta pra isso.

Mas, mesmo nessa confusão mental, eu acho que podemos nos ajudar com esse caminho quase impossível de se construir. Assim espero, pelo menos.

Até o final da tua adolescência tu já tem todo o caminho "correto" a seguir na tua vida: Escola por 10 anos, amigos e inimizades de colégio pelo caminho, matérias que nunca vamos usar na vida, professores maneiros e outros que a gente não entende como que podem lidar com pessoas todos os dias.

Aí tu sai da escola, faz um vestibular pra aquilo que tu julga ser o "curso da tua vida" sem pensar muitas vezes que tu vai viver pra caralho ainda e que a tua cabeça semi-adolescente ainda não sabe direito oqq tá fazendo da vida (nem mesmo tua cabeça adulta vai saber muito disso anos depois, mas já chego nisso) e aí tá feito: dali uns 5/6 anos tu tá te formando naquilo e paralelamente arrumando um emprego antes disso. Se for de carteira assinada então, melhor ainda.

É pra isso que a gente é preparado na vida. Qualquer desvio ou rota alternativa no meio disso já é considerado um grande perigo. Ficar parado sem saber pra onde ir então... Jesus Cristo.

De um bom tempo pra cá vocês já devem ter percebido que esse blog aqui não é necessariamente pautado em trazer soluções pra vida, mas, sim, procura trazer questões que nem sempre a gente lembra que existem. A gente tá num piloto automático e vai vivendo sem medida do que exatamente quer pra vida e do tanto de importância que dá ou não pra isso.

Eu sempre puxo isso pro lado mais obscuro possível pensando o clássico "e se tu não existisse mais: teria vivido o que queria viver mesmo nessa vida?" - acaba sendo sempre meio obscurinho mesmo pensar assim, mas é o jeito que mais me motiva. Acreditem.

Eu acho engraçado dizer tudo isso no "auge" dos meus 23 aninhos, pq sei que claramente daqui um tempo vou pensar "mas que merda era isso que tu dizia, minha filha, meu deus...", ao mesmo tempo que já reli uns textos antigos que nem tão mais aqui no blog e já notava em mim esse "inquietamento" com padrões e regras a seguir na vida. Lembrando sempre que eu deixo minhas ideias escritas aqui há quase 6 anos, então imaginem.

Quando a gente não sabe direito o caminho que devia tá seguindo, é mais seguro e mais fácil pensar em tudo aquilo que a gente não gostaria de seguir. Vai por eliminação. Muita coisa na vida a gente sabe direitinho que não quer, então fica "mais simples" procurar e buscar aquilo que se quer um dia.

Só não tome decisões totalmente incertas se isso envolver outras pessoas além de você mesmo. Contar com o apoio de quem gostamos é essencial nas decisões da nossa vida, mas é extremamente errado decidir algo quando isso afeta diretamente a vida de outras pessoas. Como decidir sair de casa num momento de equívoco extremo e cabeça quente, por exemplo. E esse é só um exemplo muito simples que eu usei pra ilustrar esse meu conselho. Cês vão pensar em tantos outros exemplos logo em seguida, que eu sei.

Resumidamente: Não envolva pessoas em decisões da sua vida se não estiver certo sobre a existência delas ao seu lado, seja no negócio que for. Faz 'sa porra direito, meu filho.

Gradicida.


Deixe um comentário

Que tal deixar um comentário bem maneiro aí?