Fonte: VEVO
Acredito que nunca tenha feito uma análise musical nesse blog, mas depois de presenciar o que presenciei nesse clipe, achei mais do que necessário falar sobre o comeback de Kesha. Pegue o lenço.

Na última quinta-feira, dia 6, Kesha fez o seu retorno ao mundo da música lançando o clipe de Praying. Assisti no mesmo dia assim que vi a tag nos trends e entendi o que estava acontecendo. Vi o clipe e em seguida busquei sua tradução (pq aqui não temos uma grande entendedora de inglês) e o que eu já havia sentido nas imagens da história ficou extremamente nítido quando li por fim o que ela estava dizendo.

Kesha parte o coração de quem senta para assistir seu novo vídeo sem nenhuma cerimônia ou aviso prévio. Como eu só conheço seus hits, achei que talvez viesse algo extremamente explosivo e animado, parecido com tudo aquilo que a gente ouvia em Tik Tok, Die Young, Blow, Timber e afins.

Não é nada disso.


Fonte: VEVO


A música é extremamente explosiva sim, mas explode de sentimentos e dor. Caso tu não saiba, no início do ano passado a Kesha foi protagonista de uma polêmica tristíssima envolvendo seu antigo produtor, Dr. Luke, e até o lançamento de Praying eu realmente não sabia que fim tinha levado essa história toda ou se ela ainda estava presa, como estavam falando. Mas o foco do post não é sobre isso.

O vídeo em si já começa te deixando impactado pq a primeira imagem é da própria Kesha sendo velada por dois homens com cabeças de porco. Horrível, nojento e assustador. Daí até a música iniciar de vez é um misto de compaixão, tristeza e dó que tu não sabe explicar enquanto assiste. Ela usa palavras pesadas que falam sobre como ela foi abandonada por todos e que ela precisa de um sinal para continuar, pq viver dói demais. Enfim, é muito triste. Depois de ver o clipe eu vi alguns reacts e esse impacto se mostrou presente na face de todo mundo que tava assistindo. A cada react era um reforço do sentimento de tristeza e força que eu sentia vendo ela na história.


Eu não sei se é uma loucura minha, mas em alguns momentos do clipe, nas cenas em que ela está deitada sobre tábuas totalmente à deriva, eu senti que foi uma referência à imagem do próprio Jesus na cruz, sabe? Depois observem no clipe a forma como os braços, mãos e pernas dela estão posicionados no local. Os olhos parados e o sangue seco no rosto também me deram essa sensação, agora enquanto eu escrevo. Na cena final do clipe fica totalmente clara essa referência sim, mas nesses primeiros momentos isso já me chamou a atenção.

Fonte
Kesha tá cantando e tocando piano. É a voz dela, sem mil edições, transições e batidas felizes. A letra é um soco de perseverança sobre lutar pela própria vida - e um claro recado para o Dr. Luke também, isso fica óbvio e a gente sabe que foi algo muito necessário. Tu sente a dor dela na música, em cada cara que ela faz e nos falsetes que acontecem ao longo da canção. O falsete do fim, pra ser mais exata, meu deus do céu... Tu quebra e teu peito se enche ao mesmo tempo. A gente sente, Kesha. A gente sentiu.

Fonte
A imagem que eu escolhi pra ilustrar o topo desse post é de um frame que eu acho extremamente interessante no clipe. Kesha passa em frente a muitos televisores e todos eles possuem mensagens estáticas em suas telas. Voltem ali em cima e tentem ler algumas. Não é muito icônico e verdadeiro o monte de coisa babaca que tentam empurrar até hoje pelas mais diversas mídias? Eu adorei a crítica.

Ao longo do vídeo ela basicamente dá um show de evolução espiritual, falando sobre todo o inferno que fizeram ela passar, mas que, mesmo assim, ela só esperava que quem foi babaca com ela estivesse em algum lugar rezando para ser alguém melhor e para que sua alma mudasse. Uma evolução que eu acho muito louca e que particularmente ainda não alcancei na minha vida não.

Eu também notei que em um dado momento do clipe ela corre pela praia carregando uma bandeira e que mais para o fim ela simplesmente abandona a tal bandeira com uma raiva perceptível. Seria uma referência a tudo que ela carregou até hoje e que agora ela não é mais obrigada a deixar que isso pese mais na sua vida? Foi o que eu senti. Aliás, vocês viram que está escrito "Kesha" sem o cifrão no meio do nome? Eu posso tá a louca das referências ocultas nesse post, mas eu vi isso como mais uma ruptura do modelo "Ke$ha comercial" que nos era vendido anteriormente. E a gente comprava esse modelo dançante sem saber dos bastidores, temos que admitir.

Fonte
No fim das contas, a música, que é um desabafo incrível e doloroso de Kesha, se torna a música de superação e reconhecimento de si mesmo de muitos que também estavam perdidos ou que aos poucos tentam se ver completamente vivos na vida. E eu me incluo nessa galera.

Lendo a letra e ouvindo ela dizer que passou por verdadeiros infernos e que teve que lutar por si mesma, mas que agora ela pode respirar novamente, pq os monstros que rondavam a sua vida foram embora, e que hoje ela se sente orgulhosa de quem ela é definitivamente serviu como um baita exemplo pra mim e imagino que pra várias pessoas que ainda encontram dificuldades em ser mais doces consigo mesmas e com suas próprias batalhas internas. Kesha se libertou, agora é com a gente.

Eu não sei como serão as outras músicas do álbum Rainbow, mas ela termina Praying lindamente andando sobre as águas do oceano em direção ao arco-íris apontado pelo passarinho colorido (que pousou como um sinal que ela queria) na tábua das cenas em preto e branco que ela se encontrava desolada. Só me dei conta da relação do nome do álbum com a cena final do clipe agora, cês vejam.

Fonte
É o começo sim, Kesha. E obrigada por isso. ♥

4 Comentários

  1. Até hoje eu acho essa história dela não ter conseguido se desligar do Dr. Luke (ele não é mais o produtor, mas ainda ganha por essa música e todo o álbum) um absurdo dos maiores. Quando essa música começou foi um impacto, porque eu tava esperando algo como "We found love" da Rihanna, um clipe com monólogo e depois uma música mais agitadinha. O rosto dela mudou bastante, mas o que realmente mudou foi a voz dela, e claro... A maturidade dessa letra, dessa música e do que ela passou é surpreendente. Fiquei muito surpresa, e apesar de braba de saber que o embuste do Dr. Luke ainda recebe pelo talento dela, eu tô bem feliz de ver ela lançando músicas e tirando os demônios do corpo e da mente, e voltando bem! Isso que importa! Adorei tua análise do clipe! <3

    www.vultuspersefone.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai mentira que nessa situação toda ele ainda tá ligado à Kesha? Gente, não fazia ideia... Que injusto, né?!

      Mas, sim, a letra eu achei de uma evolução inacreditável e espero muito que ela siga se encontrando e consiga ir pra bem longe desse cara de uma vez!

      Muito muito obrigada pelo comentário, que bom que tu gostou da análise! ^^

      Excluir
  2. Eu cheguei a ver o caso da Kesha na época, eu fiquei ao lado dela. Não sou muito fã de pop, não acompanho tantas artistas do genero, mas a Kesha é uma que eu gosto, apesar de não ver tudo dela e em conhecer tantas músicas. Eu fiquei bem sentida com o caso dela, fiquei triste com o sumiço, até outro dia na aula de pole que estava dando uma aluna pergutou sobre a música que estava tocando, era a Tik Tok, ela não conhecia a Kesha. Aí contei do processo, que ela estava sumida e tals, fiquei feliz de saber que logo semanas depois ela voltou. Ela está maravilhosa, evoluindo e querendo seguir em frente, espero que consiga e dou toda a força pra ela.

    Bites!
    Tary Belmont

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu achei ela sensacional também, espero demais que continue melhorando em todos os sentidos da vida dela. ^^

      Obrigada pelo comentário!

      Excluir

Que tal deixar um comentário bem maneiro aí?