Fonte
Hoje nesse sétimo post do BEDDA eu vou falar sobre essa série que impressionantemente dividiu opiniões e, no fim, acabou sendo cancelada com sua única temporada. Sim, é de Girlboss que tô falando (o título já te denunciava isso, né?).

Falemos de menina Sophia e sua história.


Eu assisti Girlboss em um final de semana só e, pra quem tem mil coisas salvas pra ver na Netflix mas nunca assiste direito, isso foi um recorde inacreditável (que só perde pra primeira temporada de Unbreakable Kimmy Schmidt que eu vi num dia só).

A série conta de forma totalmente livre (e deixa isso bem claro em todo começo de episódio) a história de Sophia Amoruso de forma que a gente (que não leu o livro de 2015) conheça toda a ascensão de menina Sofia e todo o perrengue vivido pela personagem antes de se tornar uma empresária de sucesso.

Aqui a atriz Britt Robertson, que interpreta a Sophia na série. | Fonte

Sophia é uma menina de 23 anos que não tá vendo muita perspectiva na vida em basicamente todas as esferas, como a gente pode ver na imagem abaixo. Isso já começou criando uma identificação comigo pq hoje eu tenho os mesmos 23 anos e olha que tá difícil de todas as esferas estar sempre ok por um longo tempo. Anyway, já comecei me identificando meio a contragosto, pq todas as reclamações e atitudes um tanto quanto mal-educadas dela já tavam me deixando irritada.

Sophia extreme putassa. | Fonte
A série tem um total de 13 episódios com menos de meia hora cada um e eu só comecei a curtir mesmo a história a partir do segundo episódio. Sophia é irritante? É irritante sim, mas ao mesmo tempo muito do que a gente bate o pezinho pra reclamar do gênio dela é exatamente o que podemos ver na gente mesmo em muitos momentos. Inclusive, eu sendo a tia reflexiva desse rolê blogosférico, deixo essa questão aqui de uma vez: O que te incomoda tanto nas pessoas não é algo que tá dentro de ti mesmo e que tu sabe que precisa mudar ou melhorar?

Menina Sophia encontrando uma jaqueta show no brechó. | Fonte
Com já faz um tempinho que assisti a série, eu não vou ficar aqui fazendo um review dos episódios e nem uma enorme análise da história. Vou falar o que eu achei e o que senti sobre os episódios e o posterior cancelamento da série.

Ao longo da história a gente conhece Sophia, seu vizinho que é vivido por ninguém menos que RuPaul Charles (sim, o criador de RuPaul's Drag Race), sua amiga Annie e seu namorado Dax e menino Shane que é ótimo e vira namorado de Sophia, mas, parafraseando propaganda sensacionalista, no final ele vai te decepcionar.

O grande foco na história, na minha concepção, é a determinação da Sophia pra romper com questões de viver sob altos e baixos (incluindo aqui ela comendo lanche que tava numa caçamba de lixo) e ainda assim ser persistente o suficiente pra não desistir totalmente de tudo, mesmo quando todas as coisas já parecem super perdidas. Apesar dos pitís e ataques birrentos da personagem, eu saí de Girlboss me sentindo extremamente motivada na época.

Mesmo com problemas com o pai e com a mãe dela que simplesmente foi embora, Sophia conseguiu se reerguer do nada e criar a loja Nasty Gal, na época uma loja simples criada no eBay com a intenção de vender todas as peças de roupa que ela garimpava em brechós e reformava em sua casa. Hoje a Nasty Gal de verdade tem mais de 300 funcionários e vende umas roupas show mesmo (acabei de ver a loja pra pegar o link aqui pro post e tá de parabéns). A situação com os pais dela também é resolvida ao longo da história (pelo menos na série).

Claro que ninguém aqui tá falando que "nossa, sim, tu pode não ter perspectiva nenhuma na vida nesse momento, mas calma que quando tu menos esperar vai ter uma ideia que vai te salvar e tu vai ser a nova empresária rica do mundo". Eu adoraria que isso fosse verdade, mas, dadas as proporções, é exatamente com esse sentimento de "meu deus vou ganhar o mundo" que tu sai de qualquer um dos episódios da série e não necessariamente só o último.

A questão é que cancelaram a continuação de Girlboss no final de junho, alegando que a personagem era muito irritante. Meus anjo, really? Depois acabei lendo que a própria Sophia da vida real comentou que não curtiu muito a forma caricata e de gênio forte que pintaram ela na série e que, pasmem, na vida real não existiu nenhum Shane. Agora dá pra entender pq que a Netflix reforçava em todo santo início de episódio que aquilo era uma releitura totalmente livre. CÊS METERAM UM NAMORADO QUE NEM EXISTIU NA VIDA DA PROTAGONISTA???? Anyway.

Tu vai te irritar com a Sophia na série? Provavelmente. Eu te indico a série mesmo assim? Com certeza.

E pra quem já assistiu: O que achou?



4 Comentários

  1. Eu não assisti, mas já li umas 5 resenhas a respeito dessa série. Algumas muito positivas outras muito negativas, também em alguns posts o pessoal diz que a Série não condiz com o livro, que no livro Sophia não é um ser tão arrogante.
    Acho que vou ler o livro e talvez ver a série. Gostei muito do teu ponto de vista, Ca. Aliás, gosto muito quando as pessoas são sinceras nas suas opiniões.
    O post ficou incrível.
    Blog Meraki ▲

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paloma! Sim, também vi muito comentário falando sobre essa diferença do livro pra série! Que bom que tu gostou do post, muito obrigada! ^^

      Beijos!

      Excluir
  2. Eu assisti e achei massa, fiquei puta com a Netflix quando cancelaram...
    Aí descobri que as coisas não eram exatamente realistas e aí desapeguei AUHAUHAUHAU
    Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai guria, fiquei de cara que a contação da história era tão livre que pessoas nem existiam na vida real! hsaushausahsu

      Beijo!

      Excluir

Que tal deixar um comentário bem maneiro aí?